Home > Artigos > Mapeamento pelo Processo Fotogramétrico

04-08-2022

Mapeamento pelo Processo Fotogramétrico

Mapeamento - Processo - Fotogramétrico


A grande maioria das operações fotogramétricas destina-se ao mapeamento, seja ele sistemático ou para algum projeto específico, como as obras de engenharia. De modo geral, as etapas a serem desenvolvidas estão resumidas na imagem apresentada.


Embora a sequência apresentada seja a mais comum, alguns processos alternativos podem ser desenvolvidos, particularmente quando um Modelo Digital do Terreno e/ou um levantamento anterior estiver disponíveis.

 

Quando as fotografias aéreas são usadas para mapeamento, as linhas de voo são locadas no mapa de tal maneira que faixas vizinhas tenham uma região comum de superposição: é a superposição lateral, que, geralmente, é de 25% a 30% da cobertura da foto.

 

Mapeamento - Processo - FotogramétricoMapeamento - Processo - Fotogramétrico


Mapeamento - Processo - FotogramétricoMapeamento - Processo - Fotogramétrico

 

Cada fotografia na linha de voo cobre uma área que se superpõe com as fotos anteriores em, aproximadamente, 60%. Esta superposição é chamada superposição longitudinal e possui três finalidades básicas:

  • a primeira é permitir a cobertura do terreno de dois pontos de vista distintos, o que permite a produção de estéreo pares para a observação e medição estereoscópica;
  • a segunda finalidade é a construção de mosaicos, aproveitando-se somente a porção central de cada fotografia, onde o deslocamento devido ao relevo e as distorções são menores;
  • a terceira finalidade é a geração de pontos de apoio por métodos fotogramétricos, a fototriangulação (ou aerotriangulação).

 

Artigos Relacionados:

 

 

👉 Follow @niuGIS

RELACIONADAS


24-11-2021
Missão DART

Contacte-nos 214 213 262

Informações