Home > Artigos > A Importância da UX - User Experience nas Aplicações

15-11-2022

A Importância da UX - User Experience nas Aplicações

Importância, User, Experience, UX, Aplicações


UX (User Experience) ou "Experiência de utilizador" significa o que um utilizador sente ao usar uma aplicação, sendo que o seu foco é encurtar ao máximo a distância entre o nível de satisfação esperado pelo utilizador e a capacidade que uma aplicação / produto tem em devolver essa satisfação.


Antes de entrar em detalhes vamos imaginar o que era se fossemos a um supermercado que sabíamos que tinha os melhores produtos, mas ao entrar víssemos todos os artigos misturados uns com os outros, alguns lacticínios com produtos de higiene, outros ao pé da fruta, etc, etc., ou mesmo com corredores sem saída. É certo que não seria um supermercado de sucesso. Ou se por exemplo fossemos a um restaurante em que sabíamos que o chefe era de eleição, mas depois os alimentos chegavam à nossa mesa todos misturados sem ordem nenhuma? Por mais qualidade e sabor que os alimentos pudessem ter, o primeiro impacto não era bom e não iríamos ter muita vontade de os comer.

 

Assim, de um modo figurado, podemos dizer que UX está para as aplicações como o chefe de loja está para a organização dos produtos num supermercado ou como os cozinheiros do restaurante estão para os empratamentos.

 

Hoje em dia existe uma grande proliferação de produtos digitais em todo mundo, daí que os detalhes e a primeira impressão sejam muito importantes para os distinguir entre os demais.

 

Muitas vezes o problema não está no tipo de aplicação, produto ou serviço disponibilizado, mas sim, na maneira ou no tempo como a informação disponibilizada chega aos utilizadores, se o layout é intuitivo e simples, organizado, equilibrado e bem estruturado, se a informação é de fácil e rápido acesso e com poucos cliques e se as páginas demoram muito ou pouco tempo a serem apresentadas.

 

Um dos pontos muito importantes e verificados em UX é por exemplo os layouts adaptados a "ecrãs de bolso" se os menus ou botões principais estão sempre acessíveis pelo nosso polegar e em sítios bem distintos, se o tamanho ou a cor da fonte é a mais indicada. Outra das regras é não existir textos com mais do que uma ou duas fontes ou se vamos encontrar mais do que duas ou três cores principais em toda a aplicação e se estas vão 'ferir' a vista, principalmente se tiverem leitura associada.

 

Todos estes aspetos devem seguir a mesma linha de orientação e a mesma filosofia. Não faz sentido, botões com funcionalidades parecidas terem cada um a sua cor ou tamanho, ou os títulos estarem formatados umas vezes à direita outros à esquerda e outros ao centro, num mesmo contexto, sem qualquer tipo de ordem ou lógica, ou para chegar ao detalhe de uma notícias ter de passar por mais do que duas páginas.

 

É nessas artérias que a UX se foca na vida de um produto, sendo que quanto menos for necessário a sua utilização numa fase adulta maior será o sucesso da aplicação, pois as suas ideologias devem ser integradas numa fase embrionária, durante a prototipagem, antes da primeira interação com o utilizador, evitando mudanças constantes e perda de clientes. Voltando aos exemplos anteriores do supermercado e do restaurante, mesmo que soubéssemos que eles agora estariam diferentes e tinham mudado, muito dificilmente voltaríamos lá se tivéssemos mais ofertas de supermercados e restaurantes. Definir bem uma UX é tão ou mais importante do que escrever as linhas de código desse mesmo produto.

 

Os próprios motores de busca como os do Google dão maior relevância a páginas com uma UX estruturada e eficaz, pois o seu objetivo final também é a satisfazer os seus clientes, logo, vão querer disponibilizar páginas leves, intuitivas, adaptáveis aos vários tipos de ecrãs, e com a informação que os seus utilizadores realmente procuram. Outra das grandes marcas que colocam restrições até mais severas que a Google é a Apple, pois têm um grande controlo das aplicações que entram na sua loja. Usabilidade dos layouts, funcionalidades inerentes e utilidade das próprias aplicações são postas em causa a toda a hora e são examinadas exaustivamente antes de ficarem disponíveis.

 

Objetivos da UX:

 

  • Focar-se no impacto da marca, layout, usabilidade, funcionalidades e prazer de interação dos utilizadores;
  • Procurar encontrar a melhor harmonia entre os utilizadores e o produto, com interações simples e intuitivas;
  • Evitar layouts complicados e de difícil perceção, adaptando-os a todo o tipo de ecrãs;
  • Aumentar a lealdade dos utilizadores ao produto;
  • Procurar reduzir custos a longo prazo inesperados: nas mudanças constantes de layout e funcionalidades; e no suporte aos utilizadores.

 

Artigos relacionados:

 

 

👉 Follow @niuGIS

RELACIONADAS


05-05-2023
ECMAScript

Contacte-nos 214 213 262